Em entrevista ao site Entertainment Weekly, Katy revelou informações importantes envolvendo o seu novo álbum, até então chamado de “KP4“. Na entrevista Katy falou sobre a sonoridade do álbum, sobre sua vida pessoal e sobre uma possível resposta a Bad Blood.

Confira a matéria traduzida na íntegra:

Já faz quase quatro anos desde que Katy Perry lançou seu último álbum, PRISM, em 2013; então, os fãs estão mais do que preparados para o retorno da superestrela pop.

Após sua última turnê, a “Prismatic World Tour”, e de sua performance no intervalo do Super Bowl de 2015, Katy admite que precisava de um tempo, tendo decidido passar um período em sua casa, em sua cidade natal – Santa Barbara, Califórnia. “A energia é simplesmente completamente diferente – não é sedenta, nem desesperada, nem pegajosa”, Katy diz à Entertainment Weekly. “É um lugar realmente lindo de sentimento de energia Zen. Eu só fui lá para me reunir e comecei a fazer um álbum em Julho do ano passado”.

Katy conta que escreveu em torno de 40 novas canções e que, agora, diminui esse número para 15 que, de fato, estarão no novo álbum, cujo título continua desconhecido (os fãs cogitam que seja “Witness”, mas Katy não confirma a teoria). “É realmente muito corajoso”, Katy diz sobre seu último trabalho. “Sonoramente, é divertido, e dançante, e escuro, e claro. É todas essas coisas. É, definitivamente, uma mudança”.

É, ainda, um álbum que reflete as mudanças na vida pessoal de Katy e o seu amadurecimento. “Eu deixei os meus 20 anos e entrei nos meus 30”, ela diz. “Eu compreendi. Eu renunciei. Eu resolvi alguns dos meus problemas com a minha família, com os meus relacionamentos. Hoje eu estou sóbria, mas não sei sobre o amanhã! Um dia de cada vez, certo? [Risos] É tudo meio que bonito. Eu construí a Katy Perry e ela era tão divertida. E eu ainda sou a Katy Perry e a amo muito, mas, no fundo, eu sou a Katheryn Hudson e acho que isso vem sendo revelado conforme eu abraço quem realmente sou”.

Até agora, a cantora lançou dois singles de seu novo álbum, “Chained To The Rhythm” e “Bon Appétit”. Katy contou à EW que há uma canção chamada “Bigger Than Me”, inspirada nos resultados das eleições norte-americanas, e uma canção divertida e dançante chamada “Swish Swish”.

Mas uma dúvida ainda permanece: Haverá uma resposta à “Bad Blood”, de Taylor Swift, cuja letra, supostamente, fala de Katy, no novo álbum de Katy Perry?

“Bem, isso não cabe a mim responder – se [“Bad Blood”] é sobre mim. Eu acho [que o meu novo álbum é] um álbum muito empoderado. Não há qualquer coisa que enfrente qualquer pessoa. Uma coisa para tomar nota é: Você não pode confundir gentileza com fraqueza e não me provocar. Ninguém. Ninguém. Ninguém. Ninguém. E isso não é para qualquer pessoa e não me diga que é, porque não é. Não é sobre isso. Honestamente, quando as mulheres se juntarem e decidirem se unir, esse mundo será um lugar melhor. Ponto final, fim da história. Mas, deixe-me dizer isso: Tudo tem uma reação ou uma consequência, então, não se esqueça disso, certo, querido? [Risos] Nós precisamos dizer a verdade, querido. Esse álbum não é sobre mais ninguém! Esse álbum é sobre eu sendo vista e ouvida, para que, então, eu possa ver e ouvir todos os outros! Não é nem sobre mim! É sobre tudo o que eu vejo aí fora e que digiro. Eu acho que há uma cura nisso para mim e vulnerabilidade. Se as pessoas querem se conectar, e serem curadas, e se sentirem vulneráveis, e se sentirem empoderadas e fortes, que Deus as abençoe e aqui está”.
Para mais informações, acompanhe-nos em nossas redes sociais, Twitter, Facebook, Instagram e YouTube.