Katy Perry anunciou há algumas sua nova fragrância, “INDI“, que trás uma mensagem mais profunda e empoderada, é a primeira fragrância da cantora unissex. Em recente entrevista ao site ELLE Canada, além de Katy revelar bastidores e mensagem do “INDI“, durante entrevista a mesma disse sobre sua fase atual, idade, mudança, beleza estética e Instagram. Confira a entrevista a seguir:

A campanha é estrelada por cinco mulheres que ela encontrou no Instagram – a modelo curvilínea Felicity Hayward, a (attorney) e influenciadora Blake Von D, a artista Marilyn Rondón, a musicista Lance e a modelo transgênero Ren Spriggs – compartilhando histórias do que as faz individuais. “É maravilhoso ser único e ter uma história para contar diferente de outra pessoa. Não deveria haver nenhum julgamento, não deveria haver nenhum medo” diz Katy. “É mais como, ‘O que eu posso aprender com você, sua vida e sua cultura, e como todos nós podemos fazer o planeta melhor?’ Nós (como sociedade) estamos percebendo que existem muitas pessoas diferentes, não só aquelas que compartilham das nossas ideias, no planeta.”

P: Então, eu tenho o perfume aqui na minha frente, estou sentindo ele agora.

Katy: Oh incrível, o que você acha?

P: É tão diferente das suas outras fragrâncias. É tão amadeirado! Eu gostei muito.

Katy: Olha, eu já fiz o floral, já fiz o guloso, e agora este… Eu queria que não estivesse só no nariz e fosse um pouco mais andrógino, um pouco mais misterioso. Eu sou uma grande fã do Black Orchid, do Tom Ford e o aroma lembra um pouco a ele.

P: Certo, sim. Eu sinto a vibe Tom Ford, com certeza. Quando você soube que queria que fosse amadeirado?

Katy: Eu já tive tantas fases na minha linha de produtos, de gardênia a baunilha – quer dizer, há definitivamente um pouco de baunilha aqui para cortar um pouco do almíscar – mas tem tido coisas diferentes e eu acho que o almíscar é algo que estou gostando bastante agora, e combina com o que eu estou sentindo.

P: O que veio primeiro: o aroma ou a ideia da mensagem de individualidade por trás dele?

Katy: Definitivamente foi o aroma primeiro. Eu sempre gosto de colocar uma mensagem com um produto, se eu puder, e ajudar pessoas e encorajá-las. Então eu sinto que estou fazendo algo melhor do que só colocar algo no mundo para as pessoas consumirem, entende? Eu quis ligar para várias outras mulheres para participarem da campanha comercial. Há cinco delas e elas têm diferentes histórias e paixões que as tornam únicas e elas compartilham essas jornadas no comercial. Eu meio que estava stalkeando todas elas no Instagram; eu encontro tudo no Instagram agora: fotógrafos, maquiadores… é um resumo de tudo. É sobre celebrar diferentes tipos de mulher, independente da idade, raça ou profissão, ou história.

P: Houve algum momento na sua jornada pessoal em que você se tornou mais atenta em relação a quem você é como um indivíduo?

Katy: Sim, seus trinta anos vão te mostrar isso! Acho que quanto mais você vive, melhor você fica em viver, e começa a perceber que algumas coisas não são tão importantes como você pensava que eram.
Especialmente para mim, nos meus vinte anos, eu deixei muitas coisas pra trás e re-priorizei o que era importante. Aquele jogo estranho que nós jogamos no Instagram, onde nós tentamos fazer nossas vidas parecerem tão melhores do que realmente são, e toda pressão para manter essa imagem. Eu tenho visto amigos agindo estranhamente, olhando pessoas “curtindo” outras contas e eles têm conversas sobre isso, dizendo “não acredito que aquela pessoa curtiu isso.” E tipo, você está falando sério? É sobre isso que estamos conversando? É assim que estamos resumindo nossa importância nos dias de hoje?
Acho que chegou o ponto de que é um fato que somos todos diferentes, ninguém é perfeito. Perfeição é entediante, é inalcançável, não é real, e eu acho que há muito mais beleza nisso. Eu cortei todo o meu cabelo para que eu não precisasse me esconder por trás dele, para que eu pudesse ser tão transparente e autêntica quanto possível. Eu estou reaprendendo o que a feminilidade é pra mim. Acho que todos devem passar pelos seus vinte anos para entender isso, mas é algo muito bonito quando você abraça isso. Finalmente eu encontrei coragem pra ser do tipo, “foda-se, eu não ligo pro que eles pensam.” Desde que eu esteja tentando elevar as pessoas e encorajá-las, então está ótimo.

P: Qual é sua memória olfativa mais antiga?

Katy: Minha irmã e eu começamos a usar Clinique Happy, e então minha primeira melhor amiga – bem, minha segunda melhor amiga, essa garota com a qual eu era tão obcecada que escrevi “I Kissed A Girl” – ela era obcecada com Fracas [do Robert Piguet]. Tem um frasco preto, com aroma de gardênia. É atemporal! Eu amo uma fragrância ousada. Eu amo Alien da Mugler. Eu amo a distinção, eu amo a singularidade, eu amo a diferença. Eu gosto de começar uma conversa dizendo, “Que perfume é este?!” Se você está usando algo que faz as pessoas falarem com você, este é um bom sinal. É um bom começo de conversa.”Minha irmã e eu começamos a usar Clinique Happy, e então minha primeira melhor amiga – bem, minha segunda melhor amiga, essa garota com a qual eu era tão obcecada que escrevi “I Kissed A Girl” – ela era obcecada por Fracas [do Robert Piguet]. Tem um frasco preto, com aroma de gardênia. É atemporal! Eu amo uma fragrância ousada. Eu amo Alien da Mugler. Eu amo a distinção, eu amo a singularidade, eu amo a diferença. Eu gosto de começar uma conversa dizendo,
que perfume é este?!” Se você está usando algo que faz as pessoas falarem com você, este é um bom sinal. É um bom começo de conversa.

O INDI está disponível em lojas online e físicas americanas e européias.

Não deixem de acompanhar nossas redes sociais, TwitterFacebook e Instagram para futuras informações!