A revista britânica GAY TIMES publicou em seu site essa terça-feira (19), uma matéria fazendo análise da discografia da Katy Perry, classificando os álbuns da cantora do pior ao melhor. Confira traduzido a seguir:

“Nós classificamos cada álbum de Katy Perry do pior para o melhor

Katy Perry é uma das estrelas pop definidoras do século XXI.

Com apenas quatro álbuns de estúdio em seu nome, ela apresentou alguns dos maiores momentos da cultura pop das últimas duas décadas, do hino bichano ‘I Kissed A Girl’ ao sucesso de verão ‘California Gurls’ e de ‘Swish Swish’.

Enquanto ela se prepara para outro ataque às paradas com o excelente recurso ‘365’ com Zedd, estamos analisando sua carreira de sucessos de uma década e classificando os álbuns de estúdio de Katy como ‘One of the Boys’, ‘Teenage Dream’, ‘Prism’ e ‘Witness’ do pior para o melhor .

Nota: Não estamos contando o seu álbum de estréia, lançado com o seu real nome ‘Katy Hudson’, porque não é tecnicamente um lançamento de Katy Perry… e ninguém o ouviu de qualquer maneira.


4. Witness

Canções de destaque: Roulette, Swish Swish, Bon Appétit

Nós não desejamos a campanha promocional envolvendo o Witness para ninguém; o album foi sensacionalizadoàs alturas, com uma ridicula despesa de marketing por trás disso (o que inclui Katy mostrando sua vida ao vivo por quatro dias seguidos num estilo Big Brother) mas isso acabou envolto em controvérsia e choro nas contas no Twitter que insistiam que uma das melhores estrelas pop tinha finalmente se esgotado, o que ela mais tarde revelou “quebrou seu coração” e a deixou com surtos de depressão. Apesar disso, ‘Witness’ ainda liderou as paradas nos Estados Unidos, e a música de verdade não era tão ruim assim. O hino eletrônico dos clubes ‘Bon Appétit’ merecia melhor com seus sintetizadores e metáforas de comida com sexo, e ‘Swish Swish’ ainda é garantido que faz os gays enlouquecerem depois de alguns copos de vodka. A segunda metade do álbum se torna um pouco pesada, deixando o álbum no final de nossa lista, mas não é um álbum ruim. Além disso, tem uma das melhores faixas bônus que já ouvimos em um disco pop: ‘Act My Age’.


3. Prism

Canções de destaque: Legendary Lovers, Walking on Air, Dark Horse

No Prism, Katy tentou continuar o sucesso do lançamento do ‘Teenage Dream’ e, na maior parte, conseguiu. O primeiro single, ‘Roar’, deixou uma primeira impressão um pouco ruim, soando quase idêntica ao que veio antes, mas felizmente o álbum entregou mais originalidade quando saiu. ‘Walking On Air’ pegou a nossa imaginação com o seu som influenciado pelos anos 90, e ‘Legendary Lovers’ emitiu batidas inspiradas no banghra [dança indiana] e vozes crescentes para criar uma das nossas canções favoritas da sua carreira até agora.

Assim como ‘Witness’, o álbum recua um pouco na segunda metade, mas apresenta algumas demonstrações de emoção genuinamente emocionantes em ‘Double Rainbow’ e ‘By The Grace Of God’. O Prism nunca atinge as alturas do ‘Teenage Dream’, mas chega perto o suficiente para entrar no nosso hall da fama pop.


2. One of the Boys

Canções de destaque: Hot N Cold, If You Can Afford Me, Self Inflicted

Dada a imensa popularidade, parece que muitas pessoas se esqueceram do primeiro álbum de estúdio de Katy, ‘One of the Boys’, que encontrou a futura estrela pop em uma encruzilhada entre seus dias cristãos macios e a sensibilidade pop chiclete que ela se tornou conhecida. É uma pena, porque os vocais não polidos, o som guiado por guitarra e os visuais inspirados em Betty Boop funcionaram bem para Katy. ‘Hot N Cold’ continua sendo um dos seus maiores earworms [canções chicletes] até hoje, ‘Thinking of You’ é tão devastadora como sempre, e apesar de toda a controvérsia, o primeiro single ‘Kissed A Girl’ celebrou o desejo do mesmo sexo em uma cena musical heteronormativa obsoleta na qual poucos o fariam – mesmo que viesse de uma popstar heterossexual para o olhar (discutivelmente) masculino. Deixando a cruel e estereotipada ‘Ur So Gay’ (que já foi removida de seu canal no YouTube) de lado, ‘One Of The Boys’ é um álbum de pop-rock quase perfeito que merece mais reconhecimento.


1. Teenage Dream

Canções de destaque: Teenage Dream, The One That Got Away, Hummingbird Heartbeat

O segundo lançamento de Katy definiu o projeto do álbum pop perfeito. Músicas no topo das paradas? Sim. Visuais icônicos? Sim. Impacto cultural? Sim. Quando foi lançado em 2010, ‘Teenage Dream’ era inescapável, mesmo para os mais aversos à cultura pop, produzindo uma sequência aparentemente interminável de hits, cinco dos quais atingiram o primeiro lugar nos Estados Unidos, fazendo dela a primeira artista feminina a alcançar tal marco (o único outro artista a fazer isso antes dela foi Michael Jackson com seu álbum de 1987, ‘Bad’, o que fala muito sobre sua popularidade). Mas colocando os muitos (muitos) recordes e realizações de lado, ‘Teenage Dream’ é, em sua essência, uma alegria pura de se ouvir, sobressair os ouvintes de volta ao melhor verão imaginário de suas vidas, com um amor perfeito, sexo pulsante, e o devastador coração partido que vem em seguida. ‘Califórnia Gurls’, ‘Firework’ e ‘Peacock’ nos dão os implacáveis ​​hinos pop que amamos; ‘The One That Got Away’ traz a nostalgia por um amor perdido; e ‘Circle The Drain’ é uma lembrança agradável do som rock de seus primeiros dias. Enquanto isso, a faixa título ‘Teenage Dream’ ainda se destaca como uma das maiores músicas pop de todos os tempos (senão a maior).”


E vocês, concordam? Deixem sua opinião nos comentários 😉


Não deixem de acompanhar nossas redes sociais, Twitter, Facebook e Instagram para futuras informações.