Recentemente, o site norte-americano U Discover Music (udiscovermusic.com) publicou uma lista intitulada “As melhores canções de Katy Perry: 20 faixas que moldaram o pop do século 21”, elaborado pelo jornalista Mark Elliott, que considera a cantora uma “mestre dos singles pop perfeitos”.

“O passeio de montanha-russa do pop foi gentil para Katy Perry. Nos 11 anos desde sua descoberta internacional, duas coisas têm sido fundamentais para seu sucesso: ela tem um toque de mágico quando se trata de aumentar sua fórmula vencedora em cada lançamento, e uma habilidade engenhosa de criar um desfile de músicas pop memoráveis. Seu carisma pessoal, caloroso e sua dedicação óbvia a temas poderosos de autodeterminação e responsabilidade coletiva criaram um exército de pessoas que permaneceram fãs dedicados a cada nova mudança criativa. Tal é a familiaridade de Katy no pódio central do pop na última década, é difícil acreditar que ela tenha apenas quatro grandes álbuns de estúdio em seu nome.”, introduziu o jornalista.

Confira abaixo o ranking e a opinião do site sobre cada uma das canções que entraram para a lista traduzidos na íntegra:

20. “The One That Got Away”

De acordo com a típica convenção pop, o sexto single de um álbum simplesmente não deveria ser tão forte assim. Como Thriller, de Michael Jackson – e nós não fazemos essa comparação de forma leviana -, o Teenage Dream pareceu justamente estar recheado de potenciais sucessos se acotovelando por um lugar entre as melhores canções de Katy Perry. Minerar tão fundo assim e emergir com uma pedra preciosa como ‘The One That Got Away’ é um testamento da mágica que Katy, Dr. Luke e Max Martin estavam fazendo nesse estágio inicial da carreira dela. A balada profunda, midtempo – amparada por um de seus videoclipes tipicamente fortes – entrou novamente para o Top 3 norte-americano e se saiu bem internacionalmente. Inspirada por um relacionamento romântico com Josh Groban que praticamente nem levantou voo, Katy tinha se recuperado da ferida e dizia estar satisfeita por isso ter revelado uma vertente mais bruta de sua composição.


19. “Waking Up In Vegas”

A realeza do rock Desmond Child e o maestro pop sueco Andreas Carlsson criaram essa agitada volta por cima que deu ao seu álbum One Of The Boys outro impulso. Chegando às rádios em Abril de 2009, a produção de Greg Wise emendou o riff de guitarra principal da canção a um refrão pop equilibrado, que se provou genuinamente memorável. Outro videoclipe forte, que foi gravado com Joel David Moore, de Avatar, ajudou a reposicionar Katy no Top 10 da Billboard.


18. “Con Calma (Remix)” (Daddy Yankee and Katy Perry, featuring Snow)

O sucesso do reggeaton, remixado com uma participação de Katy, chegou às rádios em Abril e foi inspirado pelo hit mundial de 1992 e que tornou Snow famoso, “Informer”. O rapper porto-riquenho diz que a canção original de Snow é uma de suas favoritas e que a contribuição de Katy ajudou essa picante homenagem a ganhar espaço no mainstream das estações pop ao redor do mundo.


17. “Birthday”

Era hora de vestir calças flare para “Birthday”, a mistura melódica que te transportou de volta aos gloriosos dias de discoteca dos anos 1970. Katy é famosa por seus videoclipes marcantes e esse destaque cômico certamente está entre os seus melhores – mesmo que as sua atuação inteligentes quase ameacem ofuscar a canção em si. Parte do álbum “Prism”, a vibração de bem-estar descomplicado demostra o impacto de sua composição mais leve.


16. “Rise”

O carisma dolorido dessa música eletrônica mais sombria foi eleito um dos temas para a cobertura dos Jogos Olímpicos do Rio 2016 na televisão norte-americana e emplacou com força durante o verão. Composta com Savan Kotecha, Katy fez uma apresentação televisionada da canção para os Democratas norte-americanos, à frente de uma penosa campanha presidencial.


15. “Bon Appetit” (featuring Migos)

Esse híbrido do pop e do trap, gravado com o grupo de hip-hop norte-americano Migos, foi escolhido como o segundo single do “Witness”. Sua sátira sexual inteligente e sofisticada foi brilhantemente executada em seu videoclipe.


14. “Unconditionally”

Descrita como a canção favorita de Katy do “Prism”, “Unconditionally” é um pouco inspirada em Nashville, mas é uma excelente e poderosa balada que começou a tomar forma depois que Katy ajudou em um projeto para a UNICEF. Uma das melhores canções de Katy Perry, sua temática é universal; a canção dominou as rádios e também ostentou um videoclipe promocional de época, inspirado na corte, impressionante.


13. “Wide Awake”

Uma difundida especulação focou no fato de se essa música de 2012 seria um comentário de Katy sobre o capítulo final de seu relacionamento com Russell Brand; sua mensagem de como um deve seguir em frente – apesar das circunstâncias desafiadoras – certamente tinha a ver. Colaboradora de longa data, Bonnie McKee co-escreveu a faixa com Katy (e Max Martin, Cirkut e Dr. Luke) em apoio ao documentário/filme-concerto Katy Perry: Part Of Me. A música foi lançada como single em Maio de 2012 e alcançou a 2ª posição nos Estados Unidos e a 9ª no Reino Unido.


12. “365” (Zedd & Katy Perry)

Apoiando Katy no seguimento de sua turnê “Witness”, pintou uma parceria de trabalho entre Zedd e a cantora, que viu essa faixa autônoma surgir como single em Fevereiro de 2019. O DJ, produtor e compositor russo construiu um currículo de colaborações impressionante, incluindo Ariana Grande, Foxes e Selena Gomez, mas tudo indica que esse projeto com Katy possa ser o começo de algo muito interessante. Katy parece interessada em mergulhar mais fundo no dance e no eletrônico, enquanto ele provou ser um mestre em trabalhar com seus ganchos pop convincentes.


11. “Last Friday Night (TGIF)”

Uma ressaca após aquelas festas que talvez nem tenham sido tão divertidas assim é comicamente retratada em um videoclipe excelente. Na forma de um hino pop dançante capaz de lotar uma pista de dança, “Last Friday Night (TGIF)” conquistou seu lugar entre as melhores canções de Katy Perry após presentear a cantora com um lugar nos livros de história como a primeira mulher a emplacar 5 números 1 de um único álbum nas paradas dos Estados Unidos. As participações de Darren Criss, de Glee, Hanson e dos ícones dos anos 1980, Debbie Gibson e Kenny G, completam esse videoclipe, inspirado no clássico filme de John Hughes, Gatinhas e Gatões, fazendo deste um clipe que merecia repetidas visualizações. Ele foi eleito o Videoclipe Favorito no People’s Choice Awards de 2012.


10. “Hot N Cold”

Faixa que provou que Katy não era artista de um sucesso só, “Hot N Cold” seguiu “I Kissed A Girl” nas paradas apenas alguns meses após o último lançamento e se tornou uma grande favorita dos fãs. Benny Blanco se juntou a Dr. Luke e Max Martin na criação dessa faixa, com o tratamento synthpop, sua marca-registrada, incontestavelmente arrematando um cerne mais naturalmente rock. “Hot N Cold” avançou firmemente na Billboard Hot 100, assegurando à Katy um segundo Top 3 consecutivo nos Estados Unidos.


9. “Dark Horse” (featuring Juicy J)

Anunciada como uma faixa promocional do “Prism”, essa forte música foi, mais tarde, escolhida como o terceiro single oficial do álbum, em Dezembro de 2013, e chegou ao topo das paradas norte-americanas. Esse era o single mais experimental de Katy até então e a colaboração com o rapper Juicy J revelou, mais além, a direção mais urbana que seu trabalho estava começando a tomar. Sarah Hudson, cantora e compositora do grupo UltraViolet Sound, co-escreveu essa canção, que foi a 2ª faixa mais vendida do mundo em 2014.


8. “Teenage Dream”

No início da carreira de Katy, havia uma tendência a rotula-la como uma artista talentosa, mas essencialmente cafona, dependente de performances excêntricas e carismáticas. “Teenage Dream” mudou tudo isso. Seu instinto insistente e romântico, envolto em um tom sutilmente nostálgico e em uma melodia eufórica, simplesmente permite que a música seja aclamada e a abordagem compensou generosamente. Uma constante nas setlists dos shows até hoje, “Teenage Dream” fez os críticos finalmente sentarem e começarem a tomar nota e estará para sempre entre as melhores canções de Katy Perry de todos os tempos.


7. “Swish Swish” (featuring Nicki Minaj)

Terceiro single promovido do “Witness”, “Swish Swish” é a faixa dançante mais ambiciosa que ela já lançou e foi quase completamente ofuscada por sua performance da música no Saturday Night Live, em que vimos Russell Horning (também conhecido como ‘The backpad kid’) exibir a floss dance para fascinação universal. Há coisas piores às quais uma canção pode ser associada e o buzz ajudou a faixa, com participação de Nicki Minaj, número 1 nas paradas de dance norte-americanas.


6. “ET” (featuring Kanye West)

A colaboração de Kanye West para o lançamento dessa canção do “Teenage Dream” como single (ele não participou da faixa original do álbum) adiciona camadas de drama à uma canção que já está encharcada dele. Depois da totalidade pop dos singles anteriores do álbum, esse lançamento marcou uma manobra experimental ousada que poderia ter facilmente saído pela culatra, caso os programadores das rádios urbanas não a tivessem abraçado. Crucialmente, a balada eletrônica/hip-hop, que também alcançou o 1º lugar das paradas, soou ótima e garante seu lugar entre as melhores canções de Katy Perry graças ao seu papel crucial de estabelecer uma credibilidade mais ampla à Katy, além do cerne do mercado do Top 40.


5. “California Gurls” (featuring Snoop Dogg)

Divulgada no início do verão, “California Gurls” era uma daquelas músicas das quais você simplesmente não conseguia escapar em 2010. Dar continuidade ao lançamento de sucesso de um álbum é complicado e Katy precisava de algo especial para fazer outro grande impacto. O “Teenage Dream” estava quase completo, mas Katy não estava convencida de que tinha uma faixa final arrasadora até surgir com a ideia de criar uma resposta da Costa Oeste à ‘Empire State Of Mind’. A energia calaceira de ‘California Gurls’ foi contagiante; o faturamento arrecadado com a participação de Snoop Dogg arregalou olhos e ampliou a faixa, enquanto o videoclipe elevou a épica personalidade de Katy ao máximo. Essa se provou uma mistura altamente eficaz, jogando todos aqueles hinos de verão rivais para escanteio.


4. “Roar”

O plano para o “Prism” era criar um álbum mais sombrio do que tudo que já havia vindo antes. Ecos dessa ambição permaneceram na natureza eclética do álbum, mas, para lançar o terceiro maior sucesso de Katy, a vasta positividade de “Roar” pareceu convincente. A música possui um refrão hínico, é cheia da positividade tão fundamental para o sistema de crenças de Katy e, sim, o tratamento dado ao videoclipe transmitiu lindamente uma narrativa de desenho animado, que havia se tornado um tipo de marca registrada ocasional. “Roar” foi um grande sucesso – 1º lugar nas paradas transatlânticas – e recebeu diversas indicações a prêmios, reconhecendo seu lugar entre as maiores canções de Katy Perry.


3. “I Kissed A Girl”

A inovação dessa faixa talvez tenha, no início, definido Katy como um prodígio divertido de um sucesso só. A música tinha algo interessante a dizer, mas não havia muito espaço para sutileza. Às vezes, é isso o que você precisa fazer para que um artista novo seja notado, e essa co-composição de Cathy Dennis estabeleceu Katy como uma sensação mundial. Sua colocação no topo das paradas norte-americanas durante 7 semanas ajudou essa jóia new-wave power-pop a se tornar algo desafiador: como você dá sequência a isso? A resposta de Katy era simples: nada de pânico ou necessidade de revisitação; apenas lançar canções fortes construídas em torno de temas mais amplos. ‘I Kissed A Girl’ traçou uma fina linha entre o humor inteligente e a controvérsia crassa em um 2008 menos iluminado, mas ela com certeza cumpriu o requisito.


2. “Chained To The Rhythm” (featuring Skip Marley)

Esboçado na incerteza do mundo em 2017, o primeiro single de Katy do “Witness” exibe sua habilidade com o apogeu melódico da faixa. Sia deu uma mãozinha na composição dessa canção, ajudando a criar uma mistura finamente equilibrada entre uma balada eletrônica e um pop vigoroso. A música funcionou bem nas baladas, mas mantém completamente sua posição nas rádios e permanece em rotação regular atualmente. O apoio de produção do fiel Max Martin e de Ali Payami moldou a canção em um sucesso considerável, ao passo que foi apresentada no Brits e no Grammy Awards de 2017 e recebeu, possivelmente, o melhor tratamento em um videoclipe da impressionante coleção de Katy até hoje.


1. “Firework”

Agora talvez eternamente associado a seu contínuo papel como tema de fundo de inúmeros programas de talento e histórias de superação da vida real, esse hino de auto-empoderamento vendeu mais de 10 milhões de cópias na terra natal de Katy desde seu lançamento, em Outubro de 2010. Criado com o aclamado compositor Ester Dean e com os produtores Stargate e Sandy Vee, ‘Firework’ foi o terceiro single do álbum incrivelmente bem sucedido “Teenage Dream” e seu lugar entre as melhores canções de Katy Perry está assegurado para sempre. A faixa já foi reinterpretada por diversos outros artistas e continua sendo, possivelmente, o sucesso mais consagrado de Katy até então. A canção foi indicada na categoria “Gravação do An”’, no Grammys, mas seu legado é pra lá de completo: essa é uma melodia tão intensa, que talvez ainda re-emerja em um sucesso internacional daqui há muitos anos, de um artista que talvez ainda nem tenha nascido. ‘”Firework” permanece o primeiro clássico verdadeiro de Katy.


Não deixem de acompanhar nossas redes sociais, Twitter, Facebook e Instagram para futuras informações.